sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Resenha do livro Discipulado - Dietrich Bonhoeffer

O livro Discipulado, foi escrito no carcere, pelo pastor luterano Dietrich Bonhoeffer, que é também um dos fundadores da igreja confessante, no qual foi a resistência teológica as idéias de Hitler, na Alemanha Nazista. O autor possuí uma história fantástica mas cabe aqui apenas um  breve resumo, formou-se em doutorado no seio do liberalismo teológico dos seminários luteranos de sua época, todavia perseverou na fé ortodoxa, politicamente resistiu as artimanhas do III Reich, sendo preso em 1943 sob a acusação de envolver-se na trama de Abwerh, que pretendia assassinar Hitler, tornou-se mártir em 09 de abril de 1945 enforcado pelo na cidade de Berlim, semanas antes do fim da II Guerra Mundial.

Discipulado é um livro denso, envolvente, conflitante, o autor começa criticando a teologia barata de sua época, o liberalismo e ele sabe criticar, pois estudou nesta escola, inclusive ganhou o título de doutor em teologia, mesmo discordando da maioria de seus professores, portanto sabe  mostrar os pontos de incoerência, a frieza da graça barata, do relativismo das escrituras,  bem como  aponta para o caminho da verdadeira graça.

Vários capítulos são dedicados para comentar  uma das passagens  mais belas e mais profundas do ensinamento de Jesus, o Sermão do Monte,  Bonhoeffer discorre, entretanto sua leitura coloca o leitor contra a parede e de forma singela deixa perguntas sobre como vivemos de fato o cristianismo, pregado por Jesus no evangelhos, o dever ser que Cristo espera de nós. O livro é um chamado para a cruz, para a entrega e para o sacrifício em nome Dele.

A unidade da igreja também é um dos temas centrais, mas não é da igreja institucional, política em uma tentativa de ecumenismo, mas sim do verdadeiro sentido da igreja como corpo de Cristo, noiva do Senhor, o nosso papel aqui na terra, nossa comunhão, a importância dos sacramentos como a ceia e o batismo, a importância da vida cristã em comunidade, inclusive a importância da correção da igreja, sua intenção é tocar em diversos assuntos que passam de forma ritualistica na vida do cristão, mas que possuem  uma importância espiritual enorme para o Reino de Deus e para sua igreja na Terra.

Bonhoeffer leva o leitor a profundidade da relevância da fé viva e verdadeira em Cristo Jesus, é muito bíblico seus comentários e isso faz com que o livro seja denso, pois ser um discípulo de Cristo além de um privilégio, exige responsabilidades frente ao nosso Senhor e a sociedade.

No fundo a obra do pastor Luterano é um chamado para a santificação, para viver a graça de Jesus Cristo em nossas vidas, de entrega, mas diferente de muitas obras "avivalistas", está possuí um conteúdo teológico sólido. O autor consegue fazer com que o leitor se sinta contra a parede e repense a sua vida cristã, que bom Glória a Deus pelo livro. Indicado para todos aqueles que estão  na caminhada com Jesus -  precisamos ser discipulados por Ele.

Título: Discipulado 
Autor: Dietrich Bonhoeffer
 Editora: Mundo Cristão
 Páginas: 254

terça-feira, 9 de maio de 2017

Feira de Livros cristãos ocorre neste sábado, dia 13 em Campinas com descontos de até 35%

O Seminário Batista Independente, pertencente a Convenção das Igrejas Batistas Indepedentes, localizado na Rua José Lins de Rego, 65, Parque Taquaral, em Campinas-SP, abrigará uma feira de livros cristãos das editoras Fiel, Agnus e Nova Vida. 

Para participar envie um e-mail para stbi@cibi.org.br com o seu nome e RG. Não perca aportunidade, o desconto nos livros pode chegar a 35%. 


domingo, 22 de janeiro de 2017

Resenha do livro Era uma Vez um Homem de Arafat - Tass Saada

O livro Era uma vez um homem de Arafat, é uma biografia do palestino Tass Saada, ele atualmente mora na faixa de Gaza, onde fundou uma ONG chamada Hope for Ishmael, que tem como missão reconciliar árabes e judeus, a ONG também sustenta uma escola para palestinos. O livro conta a história de sua vida e família, seu período servindo o exercito do Fatah, seu contato com as famílias reais da Arábia Saudita e Catar, até a sua conversão nos Estados Unidos ao cristianismo.

Tass Saada, nasceu no campo de refugiado da palestina, os seus pais conseguiram sair do país e abriram uma oficina de carros na Arabia Saudita, o seu pai e tios conseguiram destaque na mecânica e o próprio Rei da Arábia Saudita levavam os seus carros para arruma na oficina de seus pais. Tass pode estudar com os príncipes sauditas, na adolescência os seus pais mudaram para o Catar, lá ele ouviu falar no líder do partido pela independência palestina Yasser Arafat, no qual sua família conhecia pessoalmente ajudava financeiramente o partido.

Tass fugiu da casa de seus pais para se alistar no exercito do Fatah, pois tinha muito ódio dos judeus e queria ajudar ainda mais na causa do Fatah, ele foi treinado na Jordânia e se tornou um combatente sanguinário, conseguiu inclusive se tornar o motorista e segurança do Arafat. Quando seus pais descobriram eles conseguiram levar Tass novamente para o Catar, onde o seu pai escondeu seu passaporte para ele não voltar. Tass era um jovem revoltado insistiu para ir para os EUA e lá conheceu pela primeira vez o ocidente, casou-se para conseguir o greencard e tornou-se um cozinheiro, seu ódio pelos judeus continuava, seu casamento era um caos, até que ele foi evangelizado  e de uma forma sobrenatural aceitou a Cristo.

As mudanças de Tass na nova vida como cristão foram imensas, ele viu a importância do perdão e reconciliação, leu a bíblia  inteira em 45 dias, tentou reconstruir todos os seus laços familiares, com os seus filhos e esposa e posteriormente com os seus pais e irmãos, o que não foi nada fácil, pois ele era um cristão convertido, vindo do islamismo, algo inaceitável e que fere a honra de seus familiares. Ao crescer na fé pode compartilhar o evangelho com nada mais, nada menos que o próprio Arafat, tornou-s um homem doce, um pequeno príncipe da Paz, seguir do grande Príncipe da Paz, Jesus Cristo.

Era uma vez um homem de Arafat,é um livro comovente, nos ensina muito sobre amor aos inimigos, retira vários preconceitos contra os árabes e judeus, é um livro sobre reconciliação, paz e transformação através de Cristo, uma história recheada de ação e suspense, que parece um filme. Vale muito a pena ler!

Título: Era uma Vez um Homem de Arafat
Autor: Tass Saada com Dean Merril 
 Editora: Holy Bible
 Páginas: 219